Jucurutu: Vereadores perdem prazo para votar projeto que doa terreno para IFRN

março 30, 2018

'


Um impasse político pode comprometer a construção de um novo campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) em Jucurutu, no interior do Rio Grande do Norte. O prazo de votação do projeto que determina a área para a obra já foi excedido, e não tem data prevista para essa definição.

O problema é em relação ao terreno indicado para a instalação da unidade. Alguns vereadores não querem que o IFRN funcione no bairro escolhido.

De acordo com a assessoria de comunicação da reitoria do IFRN, uma equipe técnica do instituto foi ao município entre os meses de fevereiro e março deste ano para conhecer quatro possíveis terrenos para a instalação do campus da cidade.

A equipe avaliou como melhor opção o espaço de cerca de 49 mil m² localizado no bairro Freitas. Com isso, foi enviado um ofício à Prefeitura de Jucurutu com a análise realizada, solicitando a doação da referida área. O Município encaminhou a proposta como projeto de lei para o parecer da Câmara Municipal, que até o momento não confirmou a doação.

A comissão que analisa o projeto é formada por três vereadores. De acordo com o relator, Alan Amaral (PSD), o projeto não foi apresentado ainda aos demais parlamentares da câmara porque os outros dois representantes da comissão querem que o campus seja instalado em um terreno que pertence à presidente da Câmara, a vereadora Paula Torres (PDT).

O vereador explica que o projeto está com a comissão há mais de 20 dias e que o prazo para a votação encerrou na última terça-feira (27). "Só vai ser votado quando eles (os outros dois vereadores da comissão) quiserem. Estão atropelando o regimento da câmara", afirmou.

Ainda segundo o vereador, o terreno que é da presidente, que seria doado para a construção do campus, foi vistoriado pela equipe técnica, mas não foi escolhido. "Ele fica numa zona rural, distante cinco quilômetros do centro de Jucurutu. Já o do bairro Freitas é na área urbana e fica próximo a outros municípios da região", disse ele.

O G1 entrou em contato, na manhã desta quinta-feira (29), com a presidente da câmara, mas ela alegou não poderia falar sobre o assunto naquele momento, pois estava de plantão no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), onde é funcionária. "Eu trabalho aqui e tem vários cadávares. Não posso falar agora", disse ela, informando o contato do presidente da comissão, o vereador Fagner Brito (PSB), conhecido como Faguin. Ele, por sua vez, não atendeu as ligações.

O G1 retornou o contato com a presidente no período da tarde, mas ela disse que não ia comentar o caso. "Eu estou trabalhando agora. Isso é coisa de politicagem. Eu não vou falar não", finalizou.

O G1 também entrou em contato com o vereador integrante da comissão Willame Lopes (PSDB), conhecido como Nego do Povo, e com o prefeito da Jucurutu, Valdir Medeiros (PROS), mas as ligações não foram atendidas.

Na manhã desta sexta-feira (30) o prefeito de Jucurutu, Valdir Medeiros, entrou em contato com a equipe de reportagem do G1 e informou que encaminhou o projeto de lei para à câmara com a documentação solicitada pelos vereadores. "O que eu podia ter feito quanto prefeito, eu já fiz. Mas infelizmente, até agora, não houve retorno", disse ele.

Unidade provisória

Além do terreno, a equipe técnica do IFRN escolheu o local onde vai funcionar a unidade provisória da unidade de ensino, que foi a Escola Municipal Wagner Lopes de Medeiros Durante. Mas, para prosseguir aos processo de instalação, o instituto espera a definição da prefeitura.

“Não podemos iniciar o funcionamento provisório sem antes termos a garantia do espaço definitivo e dos recursos para a construção da unidade. De acordo com informações divulgadas pela mídia, o atual ministro da educação poderá sair a fim de concorrer a cargo eletivo nas eleições deste ano. Caso isso se concretize, nossa preocupação é se o próximo ministro ou ministra manterá a aprovação da nova unidade do Instituto”, explicou o reitor Wyllys Farkatt.

O projeto do IFRN para o campus Jucurutu é que ele oferte inicialmente cursos técnicos subsequentes (cursos profissionalizantes voltados a estudantes que já concluíram o ensino médio) e de Formação Inicial e Continuada (FIC), que são capacitações profissionais de curta duração. Caso o trâmite siga o fluxo esperado, os cursos FIC podem começar a ser ofertados no segundo semestre de 2018, no espaço provisório (Escola Municipal Wagner Lopes de Medeiros).

G1 RN

Você pode gostar também..

0 comentários

Sobre Nos

Notícias de Caicó, região do Seridó, Rio Grande do Norte, Brasil e do Mundo!

Nosso Facebook